O transporte de cargas é uma atividade complexa e que exige muitos cuidados dos motoristas e das empresas transportadoras. É fundamental o foco na segurança, que começa com ações de preparação muito antes das viagens.

Revisar os procedimentos necessários antes dos trabalhos é sempre muito importante, mesmo para os profissionais mais experientes na área. Para saber se caminhão e caminhoneiro estão prontos para enfrentar a estrada, é necessário planejamento. 

Manutenções, amarrações de carga, documentações, e até rotas para o transporte de máquinas, ou produtos de todos os tipos, devem ser cuidadosamente avaliados.

É essencial atentar-se para a manutenção dos caminhões, sendo que cada componente precisa de um cuidado específico para garantir a eficiência e a segurança durante o trajeto.

A amarração da carga deve obedecer à normas técnicas, que estabelecem parâmetros principalmente com relação aos materiais utilizados. Caixa de papelão ondulado podem acomodar alguns tipos de produtos, que também devem ser protegidos por lona. Além disso, é preciso atentar-se aos documentos obrigatórios para as operações.

Por fim, um planejamento completo e detalhado da rota, incluindo todas as paradas que serão realizadas durante o percurso pode ajudar acrescentando agilidade e contenção de custos.

Ao final, cabe ao caminhoneiro monitorar a cuidar da própria saúde enquanto exerce a atividade, ou também pode ter graves problemas.

Manutenção de caminhões

As checagens na mecânica do caminhão são cuidados que podem até ser considerados básicos para a atividade, porque são de extrema importância para a eficiência e a segurança durante os trajetos, evitando imprevistos. 

Por isso, é preciso que a empresa de montagem industrial, fretes e transportes em geral atente-se para a avaliação dos seguintes itens:

Óleo do motor

O primeiro passo é conferir o óleo do motor pela vareta e, além do nível, verificar também se há partículas ou borras no material. Isso pode indicar problemas no motor do caminhão.

Para fazer a conferência e a troca, basta remover o tambor do cárter de óleo no motor com uma chave, e utilizar um funil para não deixar entrar resíduos. Também é importante se lembrar de fazer esse procedimento na quilometragem indicada na embalagem do produto.

Filtros

O saca-filtros é uma ferramenta básica de todo caminhoneiro, utilizada para verificar os filtros do automóvel, de óleo, combustível e ar.

Quando precisa ser trocado, o filtro de ar, por exemplo, fica bastante escuro. A periodicidade das trocas deve ser verificada no manual do fabricante, que também indica as principais recomendações para os procedimentos.

Freios

O paquímetro é o instrumento utilizado para drenar a água que se acumula nos balões de ar do sistema de frenagem. As pastilhas ou lonas devem ser verificadas e, se estiverem gastas, devem ser substituídas. 

É preciso conferir se há defeitos, arranhões e se as peças estão com a espessura adequada, seguindo as recomendações do fabricante.

Sapatas de freio, tambores e sistema ABS também devem ser devidamente ajustados para o funcionamento correto.

Suspensão

Para exemplificar, a checagem da suspensão envolve peças que devem estar em perfeito estado para evitar defeitos durante o transporte de peças para retroescavadeira.

Pinos centrais e de suporte devem estar devidamente lubrificados, buchas e parafusos firmes, mangueiras e válvulas em boas condições. Um macaco hidráulico suporta o veículo enquanto são feitas as conferências no sistema de suspensão a ar, espiral ou de feixe de molas.

Pneus

É necessário verificar a profundidade das ranhuras da banda de rodagem de cada um dos pneus do caminhão, assim como as laterais, que também devem estar inteiras. O mesmo deve ser feito com os estepes.

Com relação à pressão, deve ser ajustada seguindo as indicações dos fabricantes e levando em conta tipo de carga transportada.

Palhetas do limpador de pára-brisa

Essencial para a visibilidade do motorista em caso de chuvas, o limpador pode apresentar ressecamento na borracha. Isso ocorre principalmente devido à exposição ao calor e em casos de falta de uso. Quando continuam a ser usadas, elas podem causar até arranhões no pára-brisa do caminhão, e por isso a troca deve ser frequente.

Lâmpadas e sistema elétrico

Curtos e maus contatos no sistema elétrico podem ser evitados com a troca de luzes queimadas. Contudo, é preciso atentar-se para todo o conjunto ótico do caminhão ou caminhão munck locação preço, dependendo do transporte que será realizado. 

Fusíveis, relés e cabos do sistema elétrico devem passar por manutenções preventivas para detectar possíveis falhas. O alinhamento dos faróis é outro fator importante para a visibilidade.

Módulo de injeção

Finalmente, o módulo de injeção de cada modelos de caminhão deve ser verificado de acordo com as indicações dos fabricantes, que podem ser conferidas nos sites das empresas. Alguns podem precisar de atualizações de software ou contar com ferramentas de diagnóstico.

Amarração da carga

A amarração não é uma preocupação nos casos em que as transportadoras ou profissionais autônomos contam com carroceria fechada baú, que dispensa a necessidade de utilizar lonas para acomodar e proteger as cargas.

Contudo, nos casos em que ela é necessária, deve ser feita de acordo com as normas técnicas estabelecidas pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito) na Resolução 552/15.

As principais diretrizes estão relacionadas ao uso do material adequado, proibindo cordas e indicando a necessidade de cinta para caminhão, cabos de aço ou correntes.

Documentos obrigatórios

O transporte rodoviário representa uma das maiores operações do setor de cargas, com mais de 5 milhões de pessoas trabalhando na área. Estima-se ainda que há mais de 1,6 milhões de veículos usados por trabalhadores autônomos e pelas 130 mil empresas transportadoras em atividade. 

Os dados são da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).

Cada tipo de carga tem regulamentações específicas, sendo que os documentos obrigatórios são:

  • NF-e, Nota Fiscal Eletrônica referente aos produtos;
  • DANFE, Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica;
  • CT-e, Conhecimento de Transporte Eletrônico;
  • DACTE, Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico;
  • MDF-e, Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais;
  • DAMDFE, Documento Auxiliar do Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais; 
  • Documentos para cargas especiais, conferidos junto à ANTT e DNTT.

A NF-e é emitida em qualquer transação de compra e venda, com a tributação das atividades. Já o DANFE é utilizado para o recolhimento da assinatura do recebedor da carga.

CT-e documenta eletronicamente o serviço das transportadoras, enquanto o documento auxiliar, sua versão impressa, serve para o acompanhamento da mercadoria no site da Secretaria da Fazenda.

O MDF-e é um documento fiscal referente às características do transporte, que abrange todo o processo junto à transportadora, e seu documento auxiliar facilita o acesso às informações online.

Já os documentos para cargas especiais são necessários para cargas de medicamentos ou de grandes dimensões. Ou seja, quando as cargas excedem limites do caminhão, ou são transportadas por plataforma hidráulica ou outros tipos de equipamentos.

Planejamento da rota completa com paradas

Todo motorista deve se preparar para o trabalho estudando a rota que será realizada e planejando todas as paradas. 

O planejamento das rotas influencia diretamente na logística das empresas de fretes, porque facilita a distribuição dos recursos, principalmente considerando as condições das estradas pelo país.

Com a rota planejada é possível escolher estradas com melhores infraestruturas e condições de trânsito, fatores que costumam exigir mais do motor do caminhão, causando desgastes e mais gastos de combustível.

Com relação aos riscos de roubo de cargas e assaltos a caminhoneiros nas estradas, vale ressaltar a necessidade de investir em um bom seguro de caminhão ou proteção veicular. Contudo, planejar as rotas ajuda a evitar estradas que podem ser mais perigosas em diversos sentidos.

No planejamento, ao definir os prazos, recomenda-se considerar a possibilidade de imprevistos e atentar-se para restrições de horário no recebimento do frete.

Cuidados do motorista com sua própria saúde

Os cuidados do motorista de caminhão com a sua própria saúde não podem ser ignorados. É fundamental atentar-se para a o descanso segundo determina a Lei dos Caminhoneiros, o que diminui bastante as chances de acidentes, principalmente se houver cuidado com o sono. Abusar de café e remédios para ficar muitas horas acordado pode ser bastante perigoso e resultar em problemas de saúde.

Outro ponto é a postura durante a atividade, que deve ser corrigida para que a coluna não seja afetada com tantas horas sentado. Uma coluna curvada também pode resultar em dores musculares ou lesões.

Alongamentos ajudam a relaxar os músculos, melhorar a circulação e aliviar tensões. Sempre que possível o caminhoneiro deve parar em um local seguro e alongar o corpo todo, mas especialmente braços, pescoço, pernas e lombar.

É de extrema importância que os profissionais não abram mão das três refeições básicas diárias, mesmo quando não tiverem horários fixos.

A recomendação é evitar doces e frituras, conferir a procedência dos alimentos e dar preferência aos mais leves, nutritivos e saudáveis. Beber bastante líquido também é essencial para a saúde, e por isso garrafas de água devem estar sempre ao alcance.

Por fim, seguindo as recomendações, é possível garantir que caminhão e caminhoneiro estão prontos para o trabalho.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *